0     Textos
26 de outubro de 2015

Dia desses um amigo me perguntou como a gente sabe quando é amor e, naquele momento, eu só consegui pensar em você. Lembrei de todas as vezes em que olhei para você. Revivi cada momento em segundos. Lembrei daquele sábado de manhã em que te vi andando distraído pela rua e de todas as vezes em que a vida colocou você no meu caminho. Naquele Maracanã lotado, naquela festa enorme onde era impossível encontrar algum rosto conhecido, naquela rua pela qual eu nem costumava passar, mas que por acaso, naquele dia eu passei. Lembrei do quanto meu coração acelerou quando falamos nosso primeiro “oi” . Lembrei do que eu senti quando você me abraçou pela primeira vez. Lembrei do frio na barriga quando te vi chegar naquele bar, das minhas mãos tremendo embaixo da mesa quando você sentou ao meu lado. Acho que nunca te contei isso. Lembrei de todas as vezes em que alguém me disse que meu olhar me entregava sempre que você estava por perto. Lembrei do arrepio que eu senti quando, de forma distraída, minha mão encostou na sua no cinema me fazendo esquecer completamente do filme por alguns segundos.

Lembrei das nossas conversas sem pé nem cabeça e do quanto era gostoso implicar com você. Lembrei que do seu lado eu entendia perfeitamente o que eram borboletas no estômago, mesmo sempre tendo achado essa expressão cafona e sem sentido. Talvez o amor seja isso. Essa coisa que não faz o menor sentido. Lembrei também do quanto você fica lindo de camisa preta (azul, branca, verde…) e do que eu senti quando vi sua tatuagem pela primeira vez. Lembrei do dia em que eu chorei em um show pensando em você. Talvez tenha sido culpa da música que dizia o quanto coração apaixonado é bobo (e é mesmo). Ou talvez tenha sido culpa daquilo que eu sentia e que me deixava sensível só de pensar no seu nome. Lembrei do dia em que me dei conta que você realmente mexia comigo e percebi que todo mundo já tinha reparado, ainda que eu nunca tivesse falado sobre aquele sentimento em voz alta. Lembrei que quando eu pensava em você eu me pegava sorrindo olhando pro nada e fazendo mil planos de um futuro imaginário que, apesar de saber que não iria acontecer, me fazia um bem danado. De repente me dei conta que não conseguia encontrar uma palavra para definir o que eu sentia por você. Gostar muito, estar apaixonada, desejar… nada disso era suficiente para expressar aquele sentimento. Acho que, assim, eu descobri que era amor.

Lembrei de tanta coisa, mas tudo o que consegui dizer ao meu amigo foi… quando for amor, você vai saber.


Sim, esse foi um texto sobre o amor, mesmo que essa palavra ainda me cause alguma estranheza. O sentimento mais ambíguo de todos, aquele que nos faz sorrir e ao mesmo tempo nos causa dor quando não correspondido, mas, que no final, sempre vale a pena.

 
Compartilhe:   Twitter    Facebook    Google + 0    7 comentários



Deixe sua opinião











segunda-feira, 26 de outubro de 2015.

Layout perfeito, tema perfeito! Que bom que ainda existem pessoas que escrevam e compartilhem sobre o amor.

Conheci uma menina em um show há muitos anos atrás e ela também chorava por alguém, o amor é bobo assim mesmo, que graça seria não saber como é sentir isso?

Continue com esse blog lindo, AMEI!


terça-feira, 27 de outubro de 2015.

Muito obrigada, Bárbara!

Espero te ver mais vezes por aqui… obrigada pela visita e pelas palavras <3
Beijos!


quinta-feira, 29 de outubro de 2015.

A gente sempre fica se perguntando “será que eu vou saber quando vai ser mesmo amor?” esses questionamentos sempre surgem, mas a verdade é que quando for o universo vai arrumar um jeito de avisar pra gente, né? Ele sempre avisa.

Um cheiro!
http://www.vinteetantos.com


sexta-feira, 30 de outubro de 2015.

Exatamente, Isabella <3

Beijos e muito obrigada pela visita ♥


sábado, 7 de novembro de 2015.

Eu concordo com o que você disse, que quando chegar a hora vamos saber o que é o amor, quando é amor!
Mas também gosto muito daquela frase ” O Amor vem para os distraídos”, se não me engano foi até a Isabella Freitas que falou, porque o amor pode chegar a gente custar a perceber!

Lindo texto <3

Beijos,
rodoviadezenove.com.br


sábado, 9 de janeiro de 2016.

Conheci teu blog agora na lista dos blogs da “Liga” e menina… que Layout LINDO!! *-*
Você escreve super bem e sim, quando é amor, a gente sabe e sente :)
o amor é muito puro, bem singelo por isso revela-se de maneira mais linda possível, como você citou: “nas nossas conversas sem pé nem cabeça”
As vezes a gente confunde paixão com amor e quando a paixão não dá certo, deixa de acreditar no amor não é mesmo? Adorei teu texto, teu blog… já te coloquei na minha lista de visitas diárias õ
Valeu a pena esperar


sábado, 9 de janeiro de 2016.

Menina, que texto mais lindo! <3
Me encontrei totalmente nele e isso me assusta. Sempre tive um pezinho atrás com isso, porque é um sentimento de te toma de um jeito, que me dá medo a forma como você deixa de pensar somente em você e começa a incluir a pessoa em tudo na sua vida.
Mas também acredito que vira amor de verdade, que você tem consciência que é amor, quando você perde esse medo. Quando você pode confiar sem medos.

http://www.dezoitoprimaveras.com.br